Mais de 100 pessoas são monitoradas e estão em confinamento no município

Na tarde desta terça-feira, dia 31 de março, CIC, Prefeitura de Teutônia, Vigilância Sanitária e equipe técnica transmitiram live conjunta na página da entidade empresarial no Facebook para atualização quanto às medidas de segurança e saúde diante da pandemia de Covid-19 (Coronavírus) para o município.

Na oportunidade foi anunciada a retomada gradual de algumas atividades em Teutônia a partir da próxima semana, mantendo o que estabelece Decreto Municipal vigente. O posicionamento é diferente da decisão divulgada pela Associação dos Municípios do Vale do Taquari (AMVAT) após reunião realizada na Prefeitura de Teutônia na manhã desta terça-feira, que apontou a abertura imediata e gradual das empresas já a partir de amanhã, 1º de abril (a AMVAT volta a se reunir na próxima segunda-feira, dia 06, para avaliação do cenário).

Live foi transmitida da sala de reuniões da CIC Teutônia (Foto: Divulgação CIC Teutônia)

Prudência

O prefeito Jonatan Brönstrup justificou a decisão teutoniense baseada em questões discutidas diariamente pelo comitê local de enfrentamento ao Coronavírus, debate que ouve o campo técnico e também as entidades do setor empresarial. “Tem sobrado aos prefeitos a tomada de decisões quanto à retomada das atividades comerciais, por exemplo. Em conversa com grupo técnico de Teutônia, a orientação, por unanimidade, é de que devemos aguardar e seguir o Decreto Municipal, que estabelece outras datas”, explicou, acrescentando que ficam mantidas as orientações do Organização Mundial da Saúde quanto ao isolamento social em Teutônia.

“Não é uma decisão fácil. É um momento muito desafiador, precisamos resguardar em primeiro lugar a vida e, logo depois, os empregos, as nossas empresas. Precisamos da compreensão de todos, não se trata de um ‘resfriadinho’. O Coronavírus, infelizmente, tem ceifado muitas vidas, agora também no Brasil. Vamos vencer isso, mas precisamos estar ao lado dos profissionais da saúde para termos a certeza de que tomamos a melhor decisão”, concluiu.

Famílias confinadas

O médico da Unidade Básica de Saúde (UBS) e diretor-técnico do Hospital Ouro Branco, Humberto de Alencar O. da Costa, membro do comitê local de enfrentamento ao Coronavírus, se disse preocupado com a evolução do número de casos no Rio Grande do Sul. “Teutônia também tem registrado o aumento do número de pessoas em quarentena, sob vigilância e observação em suas casas. Éramos 44, pulamos para 77 e hoje ultrapassamos a marca das 100 pessoas monitoradas. Essas pessoas não moram sozinhas e, no mínimo, se multiplicam por três”, alertou.

Lamentou a indisponibilidade de testagens e, por isso, classificou esses registros como “casos suspeitos, porém não confirmados, que devem obedecer fielmente às normas de segurança, ficando em isolamento nas suas casas. Na infraestrutura de UTI de Covid-19 do Hospital Bruno Born, em Lajeado, dos seis leitos disponíveis, três deles já estão ocupados. Por isso, medidas de contenção são as mais eficazes no cenário clínico-epidemiológico.”

Paralelamente a isso, Costa ainda demonstrou preocupação com a chegada do Inverno e reforçou que a comunidade faça a vacina contra gripe, apesar dos problemas de logística do Ministério da Saúde para distribuição das doses.

Isolamento

O coordenador da Vigilância Sanitária de Teutônia, Evandro Borba, voltou a defender o isolamento social. “Neste momento, é a melhor medida. A falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e materiais necessários para o trabalho das equipes de saúde não dos deixa confortável para que se abram o comércio e locais com aglomeração de pessoas, o que, consequentemente, traz problemas de superlotação das casas de saúde. É importante que a população entenda isso, todos gostaríamos que tudo estivesse funcionando, mas não é possível.”

Apoio

O presidente da CIC Teutônia, Airton Roque Kist, destacou que a entidade tem acompanhado as diversas discussões a respeito do combate ao Coronavírus e voltou a defender a saúde das pessoas. “As empresas dependem das pessoas e, observando o cenário, é importante seguirmos com o que estabelece o Decreto Municipal vigente. Apesar de querermos que a situação das empresas se normalize, nos colocando ao lado das empresas que olham para o seu negócio, também percebemos o receio das famílias, da comunidade. Por isso, nesse momento o melhor para Teutônia é cumprir o que foi estabelecido, com mais alguns dias de cuidado”, disse.

Ele ainda solicitou posicionamento claro do Governo do Estado e da União para endossar o trabalho que vem sendo realizado nos municípios, além de disponibilizar alternativas para a manutenção dos empregos e das empresas. “Temos que entender que o mundo mudou e precisamos nos reinventar nesse momento.”

Seguindo nota anterior emitida pela entidade, a CIC Teutônia entende como prudente e razoável que seja avaliada a viabilidade de retomada gradual dos negócios a partir do próximo dia 06 de abril de 2020, decisão a ser tomada pelo coletivo e sem negligenciar qualquer orientação no que tange aos rígidos controles de segurança e saúde das pessoas.

TEXTO – Leandro Augusto Hamester