Desde o início da pandemia do Coronavírus, no mês de março, atendendo determinação do Ministério da Saúde e seguindo decretos do Governo do Estado, o Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus de Teutônia, a Vigilância em Saúde e a Coordenação Clínica do Município têm alertado e orientado sobre os riscos das aglomerações de pessoas em diferentes situações, levando em consideração o alto contágio do Covid-19 e seu poder letal.

Governo Federal e Estadual determinaram que o ramo de alimentos é essencial e que a atividade deve adotar medidas de prevenção, como o uso de álcool gel e máscara, lavagem de mãos e atenção especial às aglomerações nos recintos, respeitando o distanciamento adequado em filas e o controle de entrada de pessoas nos estabelecimentos, responsabilidade exclusiva do empreendedor.

Empreendedores e lideranças demonstram preocupação com os cuidados necessários no combate ao Coronavírus: uma nova bandeira vermelha teria grande peso para a saúde e economia de Teutônia e região (Foto: Divulgação CIC Teutônia)

Essas iniciativas e cuidados pautaram reunião promovida pela CIC Teutônia com representantes de mercados associados à entidade. O encontro ocorreu no dia 07 de julho e contou com a participação do coordenador da Vigilância Sanitária de Teutônia, Evandro Borba. Além de esclarecer dúvidas, o grupo pode expor suas principais dificuldades, valorizando a união de esforços para combater e ampliar ainda mais os cuidados.

Os empreendedores apresentaram sugestões à Vigilância Sanitária do município, que por sua vez pretende organizar transmissão ao vivo pelas redes sociais para apresentar os pontos principais, objetivando a conscientização da comunidade em geral.

“Reuniões semelhantes já foram realizadas pela CIC com representantes de diversos setores, com a construção conjunta de ações de enfrentamento ao Covid-19, sempre buscando o equilíbrio da prevenção da saúde e a manutenção da economia”, destaca o presidente da entidade empresarial, Airton Roque Kist.

A reunião foi motivada a partir de denúncias de aglomeração de clientes e pessoas que vinham se negando a utilizar a máscara de proteção facial. O grupo definiu a intensificação de campanhas de comunicação quanto aos cuidados necessários e conscientização da comunidade, além da busca ativa de funcionários com sintomas compatíveis com o Covid-19.

TEXTO – Leandro Augusto Hamester