Teutônia entra para o hall dos principais eventos de gastronomia no Vale do Taquari

Três dias de muita comida boa e bebida gelada, muita música, alegria e descontração. Essa foi a 3ª Teutofrangofest, que entre os dias 16 e 18 de agosto reuniu mais de três mil pessoas na Associação dos Funcionários da Languiru. O evento valoriza a economia e a produção primária de Teutônia, além de incentivar o turismo e oportunizar programação artístico-cultural especial.

Excelente público acompanhou programação, especialmente na noite de sábado, com ingressos esgotados (Fotos: Leandro Augusto Hamester)

A 3ª Teutofrangofest foi uma realização da CIC Teutônia, com o apoio da Prefeitura de Teutônia, patrocínio máster de Cooperativa Languiru e Sicredi Ouro Branco, patrocínio prata de Certel, Gemelli, Prost Bier e Laticínios Tirol, e patrocínio bronze de Vinícola Aurora, Fruki, Comatra, Di Paolo, Unimed Vales do Taquari e Rio Pardo, Teutobier, Pizzas do Nonno, Speciale Chocolates e Queijos Cruzília.

Polo de alimentos

A presidente da CIC Teutônia, Mariza Wolf, credencia a Teutofrangofest a ser incluída definitivamente como turismo gastronômico do município e da região. “O evento nasceu do associativismo e da necessidade de valorização do produto frango, exportado para mais de 40 países. O Vale do Taquari é um polo de alimentos”, disse, acrescentando que a avicultura representa 39,05% do setor primário, que corresponde a 9,22% da economia de Teutônia.

Mais de 35 opções em comidas e bebidas

Desenvolvimento

A presidente da Câmara de Vereadores de Teutônia, Keetlen Link, elencou o evento como essencial para valorizar a tradição e a história de Teutônia. “A Teutofrangofest enaltece o setor primário e o trabalho das cooperativas, forma legítima de desenvolvimento e referência no Vale do Taquari.”

Autoridades e parceiros do evento participaram da solenidade oficial de abertura

Estímulo ao consumo

O diretor-executivo da Associação Gaúcha de Avicultura (ASGAV), José Eduardo dos Santos, destacou a força do cooperativismo, seu processo de gestão e evolução técnica. “O trabalho da Cooperativa Languiru e a Teutofrangofest é um movimento que se soma e evidencia a gastronomia, estimulando o consumo da carne de frango. Isso é estratégico para a evolução. Hoje, o consumo de carne de frango brasileiro é de 45Kg/por pessoa ao ano.”

Cooperativismo

O presidente da Sicredi Ouro Branco, Neori Abel, valorizou a força do cooperativismo. “A 3ª edição da Teutofrangofest é um marco importante para a região, inclusive com ingressos esgotados na noite de sábado. É um movimento oriundo do pequeno produtor rural, com o fundamental apoio das cooperativas. O cooperativismo é a solução para retomada do crescimento e desenvolvimento brasileiro.”

Atrações musicais embalaram a 3ª Teutofrangofest

O presidente da Cooperativa Languiru, Dirceu Bayer, reconhecido como mentor e um dos idealizadores do evento, falou da realização de um sonho. “A Teutofrangofest é um sonho consolidado, com o engajamento de Teutônia, que comprou a ideia. Mostra a pujança da avicultura de corte, desde o produtor, passando pela indústria, com agregação de valor à matéria-prima. Teutônia, como a ‘Terra do Cooperativismo’, caminha para um novo patamar de desenvolvimento.”

Empresários do campo

O prefeito de Teutônia, Jonatan Brönstrup, classificou a Teutofrangofest como uma das maiores festas gastronômicas da região e valorizou a variedade e qualidade dos alimentos. “Produtores rurais são verdadeiros empresários do campo, reconhecidos nesse evento dirigido à família e amigos. Tudo isso é fruto do potencial associativista e cooperativo de Teutônia”, concluiu.

Palestra

A 3ª Teutofrangofest também contou com palestra especial na manhã de sábado. Com o tema “Cooperativismo: instrumento de desenvolvimento local e regional”, o professor e mestre em Gerência de Cooperativas, Derli Schmidt, trouxe números e ações que transformam o cooperativismo numa grande ferramenta na geração de emprego e renda. Para ele, Teutônia é um dos maiores exemplos do que o cooperativismo é capaz de fazer pela sociedade. “O Vale do Taquari pode ser considerado o ‘Vale do Silício’ do cooperativismo brasileiro, com inúmeros exemplos do desenvolvimento sustentável, modelo de negócio do futuro. Onde há cooperativismo, a comunidade é mais desenvolvida e vive melhor.”

Professor e mestre em Gerência de Cooperativas, Derli Schmidt

O palestrante também usou citação da presidente da Aliança Cooperativa Internacional (ACI), Pauline Green, que definiu o cooperativismo como “empresas eficientes, que desenvolvem as comunidades e se caracterizam como sociedade de pessoas”. Entre números, elencou que o cooperativismo está presente em 156 países, conta com três milhões de cooperativas e 1,2 bilhão de associados, gerando 280 milhões de postos de trabalho. No Brasil são 6,8 mil cooperativas, 14,2 milhões de associados e 398 mil empregos, com o Rio Grande do Sul contabilizando 437 cooperativas, 2,9 milhões de associados e 63,8 mil empregos.

Reafirmando os princípios e valores do cooperativismo, Schmidt concluiu afirmando que, para o futuro do sistema, é imprescindível a fidelização, a intercooperação, a gestão profissional e o autocontrole. “Cooperativismo é como a saúde: só nos damos conta da sua importância quando a perdemos.”

TEXTO – Leandro Augusto Hamester