Como filiada à Federasul, a CIC Teutônia tem monitorado os encontros da entidade e lideranças empresariais com o Governo do Estado, oportunidade em que são debatidos decretos e medidas adotadas no combate à pandemia do Covid-19 (Coronavírus).

Em reunião realizada no dia 07 de abril com o governador Eduardo Leite e o presidente da Assembleia Legislativa, Ernani Polo, a classe empresarial voltou a defender a reabertura gradual do comércio gaúcho. O encontro teve a participação de representantes da Fecomércio, da Fiergs, da Federasul e do Lide (Grupo de Líderes Empresariais), que entregaram documento com sugestões para análise.

Simone Leite (e), presidente da Federasul, entidade à qual a CIC Teutônia é afiliada, na reunião com a participação do governador e do presidente da Assembleia Legislativa (Foto: Divulgação Federasul / Palácio Piratini / Gustavo Mansur)

Atendendo o que sugerem os próprios decretos e as orientações dos órgãos de saúde competentes, as entidades buscam a retomada gradativa com observação quanto à formação de filas e à aglomeração de pessoas, limite ao número de clientes nos estabelecimentos comerciais e adoção de horários diferenciados, especialmente para o atendimento de idosos.

Leite falou do cenário de incertezas e da ampliação das testagens de casos suspeitos no Estado, reiterando que as ações preventivas tomam como base dados da disseminação do Coronavírus e a infraestrutura hospitalar disponível. Tomando por referência análises diárias de comitês e do Gabinete de Crise, o Governo do Estado avalia essas medidas vigentes.

Nota emitida pela Federasul sugere maior flexibilidade em “municípios mais seguros”. “A economia é uma engrenagem que precisa funcionar de forma adequada para manter os empregos e a arrecadação”, destaca a presidente Simone Leite.

A entidade apoia o regramento por município, especialmente com horários de atendimento diferenciado que contribuam para evitar a aglomeração de pessoas. “A sociedade também deve se conscientizar de suas responsabilidades e só sair quando necessário, comprar o que realmente precisa, mantendo sua rotina de compras, mas de forma especial”, acrescenta.

TEXTO – Leandro Augusto Hamester